Alguém já te perguntou: O que é ser pai pra você?

Não que eu seja famoso, mas como tem muito pai de selfie na internet, quando descobrem meu perfil tem gente que pede pra conversar comigo. Já respondi essa pergunta algumas vezes e é tão estranho né. Porque é uma pergunta vaga, quase como na entrevista de emprego quando falam “qual seu maior defeito?” e é claro que você não vai contar que é mal-humorado pela manhã, que sempre deixa tudo pra ultima hora e que tem depressão severa e só consegue conviver em sociedade na base de remédios sabe…

Então quando perguntam “o que é ser pai” eu também não quero responder que é colocar o relógio para despertar as 03:30 da madrugada porque meu filho tá passando pelo desfralde e é isso ou toda a manhã ficar lavando lençol e edredom (que nos dias frios demoram uma semana pra secar) ou então falar que ser pai é encostar no cocô da minha filha numa troca de fraldas e passar o resto do dia conferindo se entrou algo embaixo da minha unha, mesmo tendo lavado 7 vezes a mão depois disso, sabe?

Mas tentando simplificar: Ser pai pra mim é uma montanha russa de emoções, da frustração mais insuportável até gargalhada mais gostosa em questão de segundos e às vezes tudo isso acontece na mesma situação. Ser pai é ninar seu bebê que acordou pela quarta vez na noite e quando você consegue finalmente deitar ele, você fica olhando encantado para aquela criaturinha, desacreditando que você foi capaz de fazer algo tão bonito. Ser pai é conversar sobre como a injeção é importante e que mesmo doendo vai ser super-rápido e quando a enfermeira fala “pai segure o braço dele agora”, você faz a pressão e sente vontade de chorar antes mesmo do seu filho ser picado.

Ser pai é se esforçar ao máximo para fazer o melhor que você pode e sentir uma dor imensa por não poder fazer ainda mais. Ser pai é maravilho, mesmo que às vezes não seja.

Shamil Carlos é pai do Valentim e da Lola, companheiro da Priscila. “Correria total” na Mamahood e StayFreeBr. Vocalista do Horace Green, artista e colecionador de discos.