> FALARAM SOBRE O ATELIÊ.


BRINQUEDOS ANTROPOSÓFICOS: A MAGIA DO MUNDO WALDORF.

Artesãs constroem brinquedos educativos para estimular a criatividade e interação das crianças. 

A infância é uma das épocas mais marcantes da vida. São nas primeiras experiências que crianças descobrem sobre o mundo que as rodeia. Interagir com o real faz com que a capacidade de aprender se torne cada vez maior e, assim, forme a personalidade de cada um de nós. As brincadeiras são essenciais para o crescimento saudável, elas ajudam a desenvolver sensações e emoções que serão conhecidas aos poucos. Os momentos mais bonitos da infância, normalmente, são aqueles que transmitiram alegria e afeto. Em certas situações, os brinquedos foram responsáveis por tais acontecimentos. Não importa o que eram, desde meias emboladas que imitavam bolas de futebol até a casinha de madeira construída pelo pai. Esses momentos ficam marcados na nossa memória e tornam-se parte de nossa personalidade.

Um simples objeto é capaz de acender a imaginação de uma criança e ampliar sua autonomia para brincar. O simples fato de uma mão para outra, como aquela boneca de pano ou cavalo de balanço, torna a peça especial e única. Assim, as crianças valorizam seus objetos e os guardam com carinho, principalmente, quando ganham de uma pessoa querida. Com esses ideais, artesãs procuram recuperar, por meio da construção de brinquedos educativos inspirados na pedagogia Waldorf, a essência da infância. O objetivo é deixar fluir nos pequenos a criatividade, o cuidado, a socialização e o amor. Afinal, nem tudo nesse mundo é descartável.

Com o desejo de proporcionar para a filha Sofia brinquedos que durassem a vida inteira, a designer e artesã Carolina Moreira começou a fabricar brinquedos em casa. O fato de durar e ser passado de irmão para irmão, fez com que a artesã se apaixonasse ainda mais por esse tipo de trabalho. “Sempre gostei de criar e me dou muito bem com os trabalhos manuais. Então, comecei a fabricar em casa todos os brinquedos que eu e minha filha desejávamos ter”, relata Moreira. Mas não parou por aí. Em pouco tempo, Carolina começou a fazer para a escola da filha. Nesse momento, seus produtos ganharam fama e foi assim que surgiu o Ateliê Materno.

“O objetivo principal na fabricação é estimular a brincadeira saudável. Brincar é um hábito essencial para a criança ter uma melhor qualidade de vida, além de auxiliar na formação emocional, intelectual, social e física dos pequenos em crescimento”, comenta Moreira. Inspirados na pedagogia Waldorf e no método Montessori, os brinquedos estimulam a criatividade das crianças. “Esses brinquedos trazem para os pequenos o mundo real, com cores e materiais de verdade. Eles proporcionam um brincar onde a criança cria uma linguagem própria, desenvolve habilidades físicas coerentes com a realidade e exercita a coordenação motora corretamente”, completa Moreira.

Cozinha, composta por box de fogão e geladeira, e oficina de ferramentas são alguns dos móveis que podem ser encontrados no Ateliê Materno. Porém, o sonho vai muito além. Segundo Moreira, os projetos são imensos e outros produtos já começaram a ser pensados. “Para mim tudo é possível, desde que a pessoa entenda que o processo é 100% artesanal, que esse é um empreendimento materno, no qual as coisas acontecem em tempos diferentes”, reforça Moreira. Todo o trabalho é realizado nos finais de semana, em seu jardim, com a ajuda especial de Sofia.

Além do incentivo à criatividade, o ateliê também se preocupa com o meio ambiente. Torneiras estragadas, panelas usadas, ou qualquer outro tipo de material em desuso, são utilizados nos brinquedos. Como mora em Florianópolis, Santa Catarina, a artesã declara que é um pouco mais difícil usar objetos reciclados da casa de outras pessoas, pois alguns dos clientes estão em outros Estados, entre eles, São Paulo e Minas Gerais. Mas, isso não impede que, por exemplo, interessados enviem via correio um objeto que desejam para colocar no trabalho.

Não é só a região Sul que se beneficia. O Ateliê Materno faz entrega para todas as regiões do país. Quem quiser encomendar os brinquedos precisa entrar em contato via e-mail, pois o negócio ainda não possui site. Os produtos que estão disponíveis custam entre R$ 400 e R$ 1.000.


DESIGNER MINEIRA LANÇA LINHA DE COZINHAS PARA CRIANÇAS DEPOIS DE NÃO ENCONTRAR BRINQUEDO DO GÊNERO QUE AGRADASSE SUA FILHA.

Quando a pequena Sofia, de 2 anos, pediu uma cozinha de brinquedo, Carol fez como quase toda mãe. Passou a pesquisar em lojas e sites atrás de produtos de qualidade com um preço justo. Mas, para a tristeza da menina, nada agradou à mãe zelosa. Carol encontrou até mesmo fogõezinhos e geladeirinhas que continham tinta tóxica em seu acabamento. Mas o desejo de Sofia e a persistência da mãe tiveram um resultado surpreendente: a brincadeira se transformou em uma ótima oportunidade de negócios. E, claro, em uma minicozinha de sonho.

Carol é a designer belo-horizontina Ana Carolina Moreira, que resolveu colocar a mão na massa e construir ela própria o brinquedo da filha. Não demorou para receber encomendas. O sucesso fez com que ela abrisse a empresa Ateliê Materno, em julho de 2015. “Quando me dei conta, já tinha vendido dezoito cozinhas”, lembra. Além de ser a principal inspiração para o negócio da mãe, Sofia virou sua ajudante. “Ela participa de tudo, desde o corte da madeira até a pintura”, conta. Juntas, as duas confeccionam móveis em miniaturapara montar ambientes de brinquedo que simulam a realidade da vida adulta. Entre os itens estão a minicozinha e a minioficina mecânica, com preços que vão de 400 a 900 reais. “É uma forma de continuar trabalhando e ser mãe em tempo integral. 


MAES EMPREENDEDORA - TUDO SOBRE EMPREENDER E SER MÃE.

A grande maioria da população feminina que também é mãe enfrenta diariamente os desafios de conciliar a maternidade com a carreira. Algumas de nós tomam a decisão de empreender um negócio, na esperança de ter mais tempo ou, ao menos, horários mais flexíveis para cuidar da família.  

Com o intuito de inspirar você, nós começamos hoje a série de entrevistas “Mães Empreendedoras” aqui no site, com as meninas do Ateliê Materno, que contarão pra gente como foi que surgiu a ideia do empreendimento, quais os benefícios, os desafios e também como é o apoio que recebem de suas famílias.

Mães Empreendedoras – Ateliê Materno

O que é? O Ateliê Materno produz brinquedos de madeira inspirados na pedagogia Waldorf e no método Montessori. Olhando as fotos no Instagram e navegando pela página do Ateliê no Facebook  podemos perceber o carinho e o cuidado com o trabalho que a Carol e a Bruna tem. As peças integram a decoração de maneira lúdica criando um ambiente personalizado e encantador. 

Obrigada meninas por compartilharem suas experiências como mães empreendedoras aqui no site As Passeadeiras! Parabéns pelo lindo trabalho e muito sucesso!

1. Qual o seu nome? Conte um pouco sobre sua família, quantos filhos tem e qual a idade deles?

Somos duas! 

Carol Moreira é mineira, mãe da Sofia de 2 anos e 8 meses e grávida de 19 semanas de um menino ou menina que ainda não tem nome. 

Bruna Chervezan é paulista acariocada, mãe da Elis de também 2 anos e 8 meses. Vivemos em Florianópolis a cerca de 3 anos, e nos conhecemos no jardim waldorf em que nossas filhas estudam. 

2. Qual sua formação ou experiência de trabalho? Você já trabalhou como funcionária antes de abrir seu negócio?

Carol trabalhava como designer e Produtora audiovisual, hoje fundadora e uma das sócias do Ateliê Materno. 

Bruna trabalhou é formada em ciência sociais, e trabalhava anteriormente como produtora de Teatro, atualmente também sócia do Ateliê Materno. 

3. Você decidiu abrir seu próprio negócio. Pode contar qual é o negócio, há quanto tempo ele existe e porque tomou essa decisão?

O Ateliê é um empreendimento materno, ou seja, um novo negócio e caminho profissional descoberto no processo de ressignificação de nós mulheres após a maternidade, de modo que seja possível conciliar um trabalho prazeroso, com cargas horárias flexíveis e o cuidado dos filhos.

Portanto, o Ateliê Materno nasceu em julho de 2015 de uma forma despretensiosa, foi quando a mãe e designer Carol Moreira decidiu fazer alguns brinquedos educativos para a sua filha Sofia.

Pensava em brinquedos simples e lúdicos, pois se inspirou na pedagogia Waldorf e no método Montessori que incentivam a autonomia, desenvolvimento psicomotor e a criatividade da criança. 

Assim que sua filha começou a se interessar pela brincadeira de fazer comidinha, foi que Carol teve o desejo de fazer uma mini cozinha. Ela que antes só tinha feito alguns brinquedos menores, quis se aventurar em fazer esse grande projeto.

Como todos os outros brinquedos eram de madeira, quis seguir o mesmo padrão de durabilidade, textura e acabamento atóxico, mesmo vendo que as mini cozinhas que ela tinha pesquisado em sua maioria eram feitos em MDF ou em compensado, material de pouca resistência e nada sustentável.

Desenvolveu o projeto, comprou as madeiras, tintas, parafusos, reciclou uma panela em desuso  e com a ajuda da Sofia que fez do processo de montagem uma grande brincadeira, a mini cozinha ficou pronta e muito linda.  Em uma pequena divulgação nas redes sociais, a procura foi tão grande que o que era inicialmente uma brincadeira entre mãe e filha se transformou sem querer em um negócio.

Com tanta demanda, a também mãe e produtora Bruna Chervezan entrou no negócio para colocar a mão na massa e juntas fundaram o Ateliê Materno.

4. Como foi a reação da sua família quando decidiu abrir seu negócio? Em algum momento você se sentiu pressionada ou desestimulada?

Aqui temos dois depoimentos bem distintos, portanto vamos separá-los para melhor compreensão: 

Depoimento da Bruna:  Minha família, no primeiro momento gostou da ideia, mas me achou meio louca por começar uma empresa assim do nada. Eles achavam que era arriscado demais, até porque eu já vinha vindo para Florianópolis no escuro, na busca de qualidade de vida e sem emprego em vista.

Quando comecei o empreendimento com a Carol, eu era casada e a minha ressignificação pessoal e profissional fez com que as estruturas do relacionamento que já não estavam muito boas, se abalassem. Eu estava me dedicando integralmente à maternidade por 2 anos e quando voltei para o mercado de trabalho, já voltei com uma empresa que me tomava bastante tempo e energia. E não houve muito apoio por parte dele nesse momento que eu mais precisava, portanto acabamos nos separando.

Isso me fez repensar muito se estava tomando a decisão certa, mas não tive dúvidas que o Ateliê Materno era o empreendimento que tanto sonhei, pois estava trabalhando com o que eu realmente acreditava. 

Depoimento da Carol:  Minha família muito empolgada sempre incentivando, apoiando e dando estrutura para que acontecesse da melhor forma. Tanto meus pais, quanto meu marido sempre por trás me apoiando e dando estrutura para o meu sonho se realizar. Isso fortalecendo nossos laços, reafirmando nosso amor e amizade, que está muito além do papel de marido e mulher. 

5. Quais foram os maiores desafios que encontrou até hoje?

Como a empresa começou de uma publicação do facebook, não possuíamos muito conhecimento sobre o todo o universo que envolve trabalhar com madeira e marcenaria. Sofremos muito com o machismo de marceneiros e madeireiras que inclusive nos enganaram, o que gerou muito prejuízo para nós no início. Portanto, a dificuldade de encontrar mão de obra qualificada e de confiança é sem dúvida um dos nossos maiores desafios em Florianópolis. 

6. Pode compartilhar algum erro ou situação que gostaria que não tivesse acontecido?

Atender a grande demanda sem ter estruturação prévia, nos gerou muito desgaste físico, emocional e financeiro tanto para nós como para nossas famílias.

7. Você trabalha de casa ou tem um espaço seu ou compartilhado, fora de casa, para trabalhar?

Trabalhamos parte em casa e maior parte na marcenaria do Ateliê.

8. Quais conselhos você daria a pessoas que pensam em empreender também? 

Façam um plano de negócios, conheça o mercado e seus fornecedores e se estruture bem antes de começar começar um empreendimento.

9. Tem algum outro ponto que você gostaria de compartilhar conosco?

Apesar de toda a loucura que passamos, valeu muito a pena, pois hoje o Ateliê Materno tem uma marca muito forte no mercado, com produtos de alta qualidade e parcerias incríveis. Além de estarmos fazendo o que realmente nos move, como mulher, mãe e empreendedoras.